Páginas

* O livro da nossa vida...




Desde pequeninos vamos sendo tentados a pegar papéis e canetas, lápis coloridos e rabiscar...
Nossas garatujas ficam marcadas e ao exibí-las aos mais velhos, estes ficam emocionados ao ver nossos talentos e vêem até um potencial ali naquela folha de papel...
Um pouco mais tarde, vamos pegando o lápis e aprendendo a escrever, desenhar formas, pintar...
Já somos então, capazes de escrever na linha certa e até pintar dentro dos contornos demarcados...
Nos são apresentados os limites, as margens...
Depois, vamos chegando a uma fase em que, se pudéssemos, passaríamos looooooonge dos lápis , cadernos e leituras forçadas...
As folhas ficariam limpas...
Assim é em nossa vida.
Desde pequenos, somos levados a preencher páginas em branco do nosso livro da vida.
Elas estão ali, à nossa frente...
Tudo aquilo que fazemos, são como as palavras que uma a uma vão formando as frases e orações.
Tudo vai ficando registrado na página...
Nossas atitudes mais drásticas, erros, correspondem às páginas onde escrevemos sem tanto capricho, sem cuidado ou atenção.
Tentamos sempre escrever "dentro das linhas", mas nem sempre conseguimos.
Nossa mão é firme, decidida, somos fortes e portanto, muitas vezes teimamos em escrever ao nosso modo, não nos importando com o resultado da "página" que ficará registrada.
Não aceitamos ou nos rebelamos contra qualquer "revisão"...
Finalmente, quando estamos com as atitudes bem decididas, sabemos o que queremos, sabemos onde pretendemos chegar, o nosso foco, ali à nossa frente as páginas em branco são preenchidas com vontade .
Vamos escrevendo com pressa, nos damos conta que há muito para "escrever" e pouco "papel", poucas "folhas " nos restam...
Depois, nossa mão já trêmula, muitas vezes consegue apenas fazer rabiscos, como quando éramos iniciantes na vida, quase como as garatujas dos pequeninhos, como num ciclo.
Assim, vamos tentar usar as nossas "páginas" da melhor forma possível para que quando nossas mãos e escritas já estiverem fracas e trêmulas, que pelo menos possamos ler, olhando as folhas anteriores, bons capítulos de um grande livro cuja capa será escolhida pelo Grande Editor!

3 comentários:

  1. Chica,seu texto me fez lembrar quando estava começando a aprender a escrever:as dificuldades,a lentidão,o esforço em caprichar...e assim é também a vida e seus caminhos!Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a sequencia, houve um tempo que escrevia com lapis e apagava com a borracha, depois com a esferográfica, que não conseguia apagar, então riscava o meu "erro", fui pra máquina ai quando errava, passava um liquido e o meu "erro" desaparecia, agora no computador, eu simplesmente deleto o que não gosto e o que erro e esqueço. E assim vou concluindo o meu livro da vida, com erros e acertos, apagando, revisando e reescrevendo Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Ah Chica é verdade...uma reflexão primorosa! A publicação desse nosso livro não necessita do aceite, o Editor já investiu nele...e quando ele resolver colocar a capa em nossa edição, nós o pegaremos e levaremos para entregar na biblioteca lá da outra dimensão...teremos um tempo pra reler e depois ganhamos outras páginas em branco pra serem novamente escritas por nós...ainda bem que nosso Grande Editor nunca desiste dos nossos escritos...
    Lindo, Beijos mil Chica!

    ResponderExcluir

✿ Que isso possa ter deixado uma marquinha,ainda que seja bem pequenina , no seu dia, alegrando-o! ✿