Páginas

Surpresa muito legal tivemos!!!

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Um lindo bruxinho...



Que o Gui, esse lindo bruxinho, represente todos os outros bruxinhos e bruxinhas que nesse dia vão fazer suas travessuras e poções de magia.

Esperamos que no "caldeirão" possamos encontrar tudo de bom, muito amor, alegria, paz e que tudo isso, bem misturadinho, faça nossa vida mais feliz!(Chica)

Foto: Gui preparado para a festinha na sua Escolinha

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A Paz e o sorriso...



Uma simples passadinha pela rua que moramos me fez pensar...


Nela existe um dos seguranças,(que infelizmente são presenças necessárias, o que por si só já denota o exterior com o qual vivemos), que sempre está com um largo sorriso.


Ele é bem preto, fortão, simpático e consegue ter umas bochechas rosadas. Nele transparece a paz e a alegria ...


Ele que está ali para defender os moradores da insegurança, nos dá uma bela contribuição com seu branco sorriso, no qual vemos a paz que mora dentro dele e sua beleza de coração.


Sua guarita, é diferente de todas as demais da rua.


Tudo arrumadinho, plantou flores ao redor, guardanapinhos de crochet numa estante improvisada, maravilha!


Aí então, pensamos:


Nas igrejas, templos, colégios de freiras, que aparentemente são lugares de paz, podemos ver pessoas, padres ou freiras, que com um simples olhar, parecem que "vão nos morder".


A relação que fiz foi o seguinte:


Não é o sorriso, nem o local que nos fazem ter e ver a paz.


O sorriso dele é a forma que ele nos mostra que tudo está bem.


Mas a paz está dentro de cada um de nós e assim, podemos estar num santuário, que se não estivermos bem, não a vamos encontrar.


Por outro lado, poderemos estar num campo violento , como o segurança, e ainda assim, a conseguiremos ter ou manter. ..


O negócio é cultivá-la sempre e cada vez mais! (Chica)

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Para os avós e netinhos...



( escrito em 26/07/2008)


Hoje é dia dos avós...

Quem não lembra com carinho deles ?

Uns mais, outros menos, mas sempre há pelo menos uma boa lembrança...

Até de suas rabugices lembramos...

E, é claro que como a roda da vida gira, nossos netos também lembrarão das nossas...

É claro que hoje, tudo mudou...

Não somos mais fisicamente como aqueles ali acima...

Ser avós não significa, necessariamente, estar no "osso"...

Podem ainda estar inteiraços, ativos e agitadinhos...

Não ficamos em casa com um chinelo arrastando, fazendo tricot, costurando ou bordando.

Nem mesmo, ficamos apenas nos matando na cozinha com a barriga no fogão pra preparar comidinhas e guloseimas de vários tipos.

Está tudo mais prático e simples...

Hoje, temos direito de ficar na nossa internet, escrevendo, viajando, nos comunicando com o mundo e até blogueiros somos, além de Recantistas...

Estamos em várias frentes...

Vovô tem aula na academia, faz esteira, caminhadas... É pra frentex!!!

Te mete com os vovôs de hoje!!!

Isso tudo porém, não interfere no sentimento que existe nessa linda relação...

Mais modernos, mais ativos, mais inteirados de tudo que acontece, mas mesmo assim, avós...

Isso não muda!

Babamos pelos pequeninhos que nos procuram e acompanhamos com amor os seus crescimentos.

Quando nos deixam ser avós, o somos de corpo e alma...

Nós tivemos a alegria de ter seis netinhos: Matteo, 12, Pippo,11, Marco,6, Neno,5, Gui,3 e Santiago, um mês.

Outros tantos por aqui, são avós também e por isso, vai aqui o meu abraço especial a todos esperando que tenham um dia muito feliz, em companhia dos netos ou pelo menos, parte deles, se não estiverem todos por aqui, como no nosso caso...

Vai ainda, um aviso aos netos e netas, pequenos ou grandinhos, que ainda tiverem um vovô, vovó, nonno, nonna, Opa e Oma, ou com qualquer outro nome, que se "apresentem" a eles...

O colinho tá esperando!

Um grande abraço aos vovôs e vovós Recantistas, amigos do Sementes e agora, do Canteiro ...

Aqueles que ainda não o forem, vai meu abraço também, já adiantado, pois, mais cedo ou mais tarde, esse dia chega...E é tão bom! (Chica)

Alguém encontrou???



O tempo vai passando e tudo vai tomando uma nova forma e cor.

Há tempo atrás, com filhos pequenos, tudo era correria...

Entre colégios dos quatro, escolinhas de arte, compras, casa, escritório, roupas e alimentação para todo o bando, o tempo simplesmente era impiedoso. Voava!Porém, ainda assim, as noites de sexta-feira eram diferentes.

Tinham um cheirinho especial e eram coloridas...

Eram um prenúncio de um fim de semana juntos e de descanso, mas sempre com um programinha especial.

Os filhos foram crescendo, sairam , voltaram e saíram novamente de casa e sempre foi assim...

A sexta-feira era esperada com aquele gostinho especial...

Hoje é sexta-feira e não encontro mais esse gostinho...

Pergunto a mim mesma, onde ficaram ou onde se perderam...

Só eu mudei?

Para uns elas ainda são esperadas pois indicam um descanso no dia seguinte. Basta o descanso!

Alguns jogos na tv, dormir na frente dela...

Será que perdi o tesão pela vida?

Para mim, que sou tão positiva, me espanta ver que elas não têm mais o mesmo sentido, cheiro nem cor...

São iguais a qualquer outro dia!

Fiquei velha! Será? Acho que sim!

Então uma pergunta:

-Alguém encontrou por aí as minhas sextas-feiras?

Digam à elas que estou ainda aqui, "vivinha da silva" e que espero ansiosa seu retorno! (Chica)

Um almoço, uma emoção e o aprendizado...




Hoje, dia do amigo, almoço de domingo...
Neno,com seus cinco aninhos, vovô Franco e eu...
Enquanto almoçávamos, Neno, entre uma colherada e outra, pra variar, falava...
Lembrava que amanhã, segunda -feira ,aconteceria algo muito ruim na sua Escolinha., segundo ele.

Desde 6ª feira seu assunto, volta e meia era esse:
- Na segunda, o famoso dia do brinquedo, vou ter que mudar de sala. Vamos para uma outra. Mas, a profi, vai levar todas as nossas coisas pra sala nova. Só que ele é bem menor que a de agora.

Dissemos então que quando pequenos, também havíamos trocado de sala muitas vezes e que isso era legal até para que se acostumasse para a Escola do ano que vem, quando frequentará já o primeiro ano, em Colégio de Grandes...

Aí, ele ao invés de se animar, começou a dizer que não queria sair da escolinha, se podia frequentar o Colégio e a Escolinha , pois perderia todos os seus amiguinhos e passou a nomeá-los, com a voz embargada, um por um...

Se vissem a carinha dele, foi muito triste, ver um toquinho de gente , daquele tamanhinho, se preocupando com perdas.

Essa será sua primeira da vida...

Muitas outras virão...

Só sei que o tal do almoço do Dia dos Amigos, acabou comovendo a vovó...

E estamos apenas em julho!!!

Quanta coisa vai rolar até o fim do ano, em sua despedida desse Recanto Mimoso?

Não dá nem pra pensar!!!

O que no fez lembrar é que , crescer tem suas grandes desvantagens também, não???

Ver nossos pedacinhos passando etapas, entrando na vida real e dura, não é fácil!!!

Tudo vai mudar, o tempo vai passar!

Ficará no entanto, para sempre, bem guardadinha, dentro dos nossos corações, a lembrança do carinho e tudo de bom que Neno recebeu naquele lugar tão especial...

Estou sempre pregando e dizendo que não podemos sofrer com antecedência, porém foi o Neno que nos fez começar a sentir as mesmas saudades que ele vai ter!!!
Ao final, analisando bem, ficou a grande mensagem e definição de amizade: aquilo que nunca queremos perder!!!



terça-feira, 28 de outubro de 2008

Acende tua luz e teu olhar!!!


Todos nós temos uma luzinha dentro de nós.

Ela nos impulsiona e faz ver tudo mais claro à nossa volta.

Porém,tenho notado a cada dia que te encontro, que apesar de tua beleza , juventude e esplendor, está faltando uma luzinha, um brilho no olhar, uma alegria vinda de dentro...

As coisas em nossas vidas acontecem e muitas vezes não percebemos ou fazemos de conta não perceber.

Assim, vamos tocando o barco, empurrando com a barriga simplesmente, mas isso não significa que estamos realmente vivendo...

Dá uma paradinha!

Pensa, repensa e vê o que está te deixando apagadinha assim?
Toma coragem de olhar pra dentro de ti, pegar um "paninho" e tirar o pó que está ofuscando o teu brilho, que sempre foi tanto.

Até teu sorriso, já não sinto mais o mesmo! Está fraquinho, "desvitaminado"!

Teus olhos lindos e ainda tão jovens, trazem uma névoa em si...

Te olha no espelho. Vê o quanto és linda!

Volta atrás teu "filme" e depois, olha pra frente vendo quanto ainda te falta pra viver! Muito e muito, se Deus quiser!

Assim, trata de ser muito feliz, trata de recuperar o brilho que por direito é teu.

Não permite que nada nem ninguém ofusque tua luz.

Lembra: ela continua dentro de ti! Basta reencontrá-la!

Ainda há muito pra ser iluminado por ela e há muitos caminhos "escuros" precisando dela...

Não esquece ainda que não deves colocar o teu ser feliz, os teus momentos de felicidade, condicionados, esperando e na dependência de outra pessoa.

Ela é tua e por ti deve ser buscada. Tu deves estar bem...

Ser feliz não é apenas ter migalhas...
Tens direito a um brilho e felicidade muito grande e deves ir buscá-la sem desistir...
Coragem! Força! Queremos ver brilho novamente no teu olhar!
Pensa nisso e assim talvez possas recuperar tudo o que perdeste! Ainda dá tempo!!! E como!!! Começa hoje,vai!(Chica)

Nossos "telhados"...




Em geral, em quase tudo na vida, deixamos primeiro o nosso "telhado" quase desmoronar ou dar sinais de ruir... para depois começar a consertá-lo.

Assim é com a saúde: vamos empurrando tudo com a barriga e levando adiante até que somos obrigados a encarar...

Com nossas gavetas e armários: vamos socando tudo para dentro sem ver , esperando um tempinho , que certamente demora a acontecer, para arrumá-los e organizá-los...

E nossas agendas ?

Têm de tudo um pouco e na minha, aquilo que seria para me ajudar a localizar alguém facilmente, muitas vezes, piora.Um nome de uma tia que inicia por "L", lá na letra "T", de tia, e assim vai...

Tive sorte quando arrumei um pintor chamado Paulo...

Um dia, vou organizar isso tudo, penso, cheia de boa vontade.
Vou copiar para a agenda nova e...tudo continua igual, dá pra ir para um museu a dita cuja...

Rabiscos, desenhos feitos enquanto aguardo ou falo com um dos números discados, e tudo mais.

Com os problemas que surgem: vamos ajeitando daqui e dali e só quando estamos num beco sem saída é que resolvemos parar e pensar neles, no que realmente deve ser feito.

Porém, de boas intenções, estamos apinhados.

Pois bem, é ou não é assim?

As roupas que estão com botões faltando, uma baínha por fazer, um fecho para trocar, estão fadadas a ficar na pilha das coisas chatas e ali, dormir por algum bom tempo...

Tudo deveria ser feito de modo que estivéssemos sempre com as coisas de nossa vida "arrumadinhas" e "bem organizadas", como se a qualquer momento tivéssemos que abrir as "portas" para que todos pudessem ver tudo aquilo que temos dentro "dos nossos armários" da vida...

Enquanto forem somente as agendas e roupas, ainda dá para ir levando e até, muitas vezes, podemos encontrar um alma boa que faça por nós.

Porém com aquilo que se apresenta para nós, os nossos problemas e decisões, aí não vai dar...

O que deve ser feito, resolvido ou decidido deve ser feito e pronto!Ninguém o fará por nós !

Ainda que fique por último lugar na nossa lista de prioridades, deve um dia, ser feito!

Vamos, portanto, tentar encarar, antes que nossos "telhados desmoronem e que o "tempo" fique feio...

Vamos aproveitar os belos dias de "sol", antes que a "chuva , os ventos e o granizo" caiam...(Chica - 27.04.08)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Os balões em nossa vida...



O que aqui escrevo hoje , foi resultante de uma reflexão na época em que meu filho, Gordo, se transferiu definitivamente com sua família, para o exterior.
Porém, é um texto muito atual e pode ser aplicado a cada nova situação que nos surja, onde somos obrigados a "soltar os fios e deixar os balões voarem"...
Muitas vezes o fio está tão enroscado em meio aos nossos dedos que precisamos muito trabalho interior para deixá-lo livre...
Quantas e quantas vezes, fiquei me perguntando, qual tipo de sentimento me faz sentir algo estranho, ao ver um balão sozinho voando no céu.Sempre, desde pequena, tive essa sensação.
Estarei eu sozinha diante dessa sensação ou mais pessoas sentem a mesma coisa ?Como um balão, que representa em geral alegria e festa das crianças em seus aniversários, enfim, pode me fazer sentir isso?
A tristeza que me dá olhar um balão sozinho, solto no ar, é um defeito meu, minha falta de exercitar algo essencial, o desapego.
Deixar o balão escapar, para mim, certamente, significa despedir-se...Nunca gostei de despedidas, embora muitas e muitas vezes as tenha enfrentado.Muitos balões já voaram , muitas vezes tive que soltar o fio...
Assim, fico pensando, o quanto tenho que desenvolver, evoluir, para ver com normalidade esse ato de se despedir, não deixando que isso doa dentro de mim.Não é fácil, mas espero e me esforço, por conseguir...
AGARRAR FIRMEMENTE E TER MEDO DE PERDER É UM IMPULSO NATURAL, MAS CHEGA UMA HORA QUE É MELHOR RELAXAR E SOLTAR AS AMARRAS...PRONTO: FOI EMBORA E SABEMOS QUE É PARA SEMPRE. À NOSSA FRENTE, UM CÉU CLARO, ABERTO. E TODA UMA NOVA VIDA..."
É o tal do desapego que deve ser trabalhado e exercitado...
Ser capaz de "soltar o fio de todos os balões" que passarem por mim, mesmo que tenham me dado muita alegria ao olhá-los enquanto "brinquei" com eles é o que espero.
Aprender que eles vão enfeitar outro céu e que ,certamente, chegará o dia em que poderei pensar: dei um adeus verdadeiro, do fundo da alma, com consciência, e não um "até breve, volto já"...
Quando conseguimos ficar em paz, aquela de dentro de nós, nada importa, nem onde estamos, o que estamos fazendo.
Nada vai ser capaz de nos perturbar ou abalar, pois estamos equilibrados e harmonizados interiormente.
Assim, ao invés de ficar lutando contra os acontecimentos, contra as coisas que nos aparecem e não podemos fazer nada contra elas além de observar, temos que aprender a "fluir", saber voar como o balão, deixando que brote dentro de nós cada vez mais paz... (Chica)

Um passeio, um domingo, dois cachorrinhos e duas leoas...



Assustados com esse título?
Não há necessidade! É apenas uma narrativa...
Num lindo domingo de sol, fora do padrão para a época, a família reuniu-se para um almoço maravilhoso ao ar livre.
Após, um belo passeio de lancha.
As crianças felizes, entusiasmadas com aquela oportunidade de navegar...
Todos felizes, após aquele maravilhoso dia juntos, chega a hora da volta às casas.
Num dos carros, os avós com uma filha e dois netinhos...
Conversas, risadas e brincadeiras entre as duas crianças...
Lá pela tantas, talvez devido ao cansaço e agitação já pelo sono, um deles, o menor, resolve dar uma de cachorrinho e aplica uma dentadinha no outro, que sem pensar, revidou, com vontade!
Tudo por uma bola !
Na mesma hora, aquele carro foi invadido por duas leoas, cada uma defendendo a sua cria...
A situação ficou muito constrangedora, acusações feitas que serviram para mostrar tudo o que existe "por baixo dos panos"...
São sentimentos que até podem ser considerados normais, já que aquela avó é quase mãe de um deles e isso causa , ainda que inconscientemente, "caramiolas" ...
Bem, aquela situação de duas crianças que se morderam, aparentemente normal entre crianças, é completamente fora dos padrões e totalmente inusitada.
Foi a primeira vez que isso ocorreu entre os priminhos que se adoram e se consideram como irmãos...
Um deles, a seguir dormiu e na hora do desembarque, junto com sua mãe,ao chegar à sua casa, o que estava no carro e permaneceria nele, espontaneamente disse : Desculpa! ao primo que saia. Um grande exemplo para os adultos...
Entre eles, a situação é bem normal.
Apenas agora teremos que ter mais cuidados quando se encontrarem...
Porém, as leoas, essas terão que se afinar novamente, pois a lei da vida é essa!Assim num corsinha vermelho, quanta gente coube!
Os avós, 2 netinhos, 2 cachorrinhos e 2 leoas!
Só??? Não,claro que não!
Havia ainda um carneirinho, bem manso que tinha que dirigir enquanto tudo isso acontecia! Haja calma!!!
É, encontros de famílias que se amam muito às vezes podem terminar assim!
Será que vai acabar bem?
A leoa mãe e vó aguarda a "Bindinha leoa" telefonar!
A parte dela está feita!Em tempo: O telefonema acabou de chegar! A Paz reinou e minha segunda-feira, agora começou!!!Viva a Paz!

As idas e vindas...



Cada vez mais frequentes nas famílias, estão as idas e vindas...

A nossa, por exemplo, foi sempre marcada por isso: separações e despedidas entre os membros da família que moram ou moraram em outras cidades ou partes do mundo...

Quando pequenas e até bem grandinhas, nós irmãs, passamos muitos anos separadas, já que uma parte morava aqui no Sul com os avós e a outra no Rio de Janeiro, com o pai e mãe.

Como nosso pai trabalhava com vendas, estávamos assim, sempre de cá pra lá, e as reuniões aconteciam mais nos finais de ano.

Assim, muita coisa se perdeu nesse caminho...

Bem, quando conheci o Franco, este havia, após a morte de sua mãe, deixado a Itália, seu país de origem, trazendo sozinho, seu irmão pequeno para o Brasil.Dá para imaginar a tristeza que foi essa despedida para seus tios e irmã .

Sabiam que muito tempo se passaria sem que pudessem se reencontrar.

Foi uma viagem e tanto...naquela época, a distância parecia muito maior...

Casamos, fomos tendo os filhos e um dia, Gordo, nosso segundo filho, resolveu começar a juntar seu dinheiro do trabalho, economizando tudo, para tentar a vida na Itália, que oferecia muito melhores condições e oportunidades.

Economizou, comprou a passagem, suas roupas para enfrentar o frio de lá e ainda tinha a graninha suficiente para se manter sem passar por problemas, caso não encontrasse um emprego logo.Assim, como numa mágica da vida, fez o caminho inverso do pai e foi se estabelecer justamente na cidade do Franco, Nerola-Roma.

Foi nessa época então, que houve o reencontro e maior convivência com os parentes italianos, pois com sua ida, passamos nós a fazer um vai e volta e até moramos por um tempo por lá, deixando então, alguns dos filhos por aqui.

Enfim, para estar junto de um, estávamos longe de outros.

Lá Gordo casou, teve os filhos, saiu da Itália e foi pra Londres, tentar buscar novas experiências.

Estava bem por lá, quando uma doença na família por aqui surgiu e ele sentiu necessidade de voltar e participar de tudo novamente...

Porém, quem fica muito tempo fora do Brasil e da família, dificilmente consegue assimilar novamente os costumes perdidos que não mais são compatíveis com os adquiridos.

Isso, aliado à total falta de segurança, fez com que, novamente, em maio de 2007, seguisse com a família em definitivo para Londres, retornando por sorte, ao seu antigo emprego.

Assim, nessas idas e vindas, muitas despedidas, muitos choros e separações...

Nós, pais, ficamos apenas observando esse ir e vir, esses círculos que se abrem e fecham e desejando que acertem sempre.

Queremos que sejam apenas felizes, o resto, acontece naturalmente.

É o caminho da vida, o andar da carruagem...

Nestas corridas todas, precisamos torcer para que as pedras que surgirem nas suas "estradas" sejam contornadas e que estas os conduzam ao melhor caminho para que sejam sempre muito felizes.

Nós, pais e irmãos, ficamos apenas torcendo, esperando que todos encontrem o melhor naquilo que procuram e que a vida os trate bem! (Chica)

Momentos que parecem não ter fim...



Dias de espera...


Chega a hora, já previamente marcada...


Maternidade de um hospital...


Logo ao entrar , já temos um friozinho na barriga...


Preparos, maca e o beijinho , com o tchau, antes da nossa filha ser levada para tornar-se novamente mamãe...


Nós, ali do lado de fora, nervosismo, ansiedade...


Ansiedade, expectativas, em geral não são bons companheiros...


Mas nesse caso, é completamente diferente, pois a alegria anda junto com tais sentimentos...


Para passar o tempo, ficamos namorando e assistindo todos os nenês que nasciam, tomavam o primeiro banho, eram pesados e então, finalmente, exibidos aos familiares.


Ouvia-se apenas :


- "Oh! que coisinha" ,


- "Ah! se parece com a mamãe",


- "Não, ele é parecido com o papai"...E nós ainda ali, pouco importando com quem aquelas belezinhas eram parecidas...


Apenas olhávamos, encantados, curtindo todos eles, para matar nosso tempo de espera...


Naquela hora, quando um pedaço nosso está lá dentro, numa sala onde não temos acesso, o tempo parece não ter fim...


Roemos unhas, comemos os dedos, caminhamos de lá pra cá ...


Tensão nervosa, nossos músculos comprimidos...


Pedimos notícias...Nada ainda!


De repente, surge ele por trás do grande vidro, e para nós, o nenê mais lindo do berçário...


Com sua carinha de quem ainda não sabe de nada, nem ao menos onde está, abre um olhinho, de canto, nos olha e pronto...


As apresentações foram feitas...


Já ocupou o lugar que para ele estava reservadinho e bem guardado nos nossos corações e Santiago, danadinho, apenas chegado, já está bem ali, junto com os outros netos, sentadinho em fofas almofadas dentro dele...


Nosso coração está cheiiinho de amor e felicidade!


E nem nos importa se é gordinho ou magrinho, se parecido com A ou B...


Isso deixamos pra depois!


O que importa é que ele e sua mamãe Fabíola estão ali e muito bem, graças à Deus!Acabou a espera, a ansiedade passou...


Agora é só curtir!!!Ufa!!! Que bom!!!!(Chica,27.06.08)

Os doces sonhos e a realidade...





Aproveitando os últimos dias nesse paraíso, fico saboreando cada coisa daqui e que só aqui tem esse mesmo "gostinho"...


Por exemplo:


Todo mundo conhece aquele bolinho que se chama "sonho", bem "light", com seus recheios variados de creme, chocolate, goiabada ou doce de leite...


O sonho para nós, traz boas lembranças...


Há bastante tempo atrás, numa praia do Sul, Figueirinha, onde existiam apenas nós e os quatro filhos, o hotel a lua ou o sol...


Muito legal para as crianças se "soltarem", coisa que faziam muito bem...


Bem, Franco e eu gostávamos de caminhar pela praia e esse não era o programa preferido dos quatro filhos.


Então, comprávamos à tarde, um monte de sonhos e eles iam caminhando e comendo.


Assim, não se davam conta das distâncias...


Se fosse pelo nosso filho Gordo, ele caminharia até Capão da Canoa , uma praia mais distante, para comer mais...


Pois bem, esse mesmo sonho, podemos encontrar nas confeitarias , nos supermercados das cidades grandes, sem problemas.


A diferença está num detalhe muiiiiiiito "pequeno":Nas cidades, para se chegar até eles, ou vamos de carro, no meio do trânsito, ou vamos a pé, mas de olho na bolsa...


Passa-se no caixa, paga-se e saímos com eles embrulhados para comer em casa ou...corremos o risco de comê-los com um novo recheio: poluição...


Podemos ainda, se a fome e a vontade for muita, ficar no carro comendo ou ir dirigindo enquanto o comemos.


Daí, dois pequenos problemas: se parados, corremos o risco de que chegue algum assaltante, não para comer o sonho, mas para nos levar junto com o carro; se dirigimos, corremos o risco de algum "azulzinho" nos multar, pois não estamos com as duas mãos no volante...


Aqui, vai-se até ele caminhando pela praia...


Depois, os compramos , pagamos e...saímos do mercado ou padaria saboreando-os pela rua, todos emlambuzados com seu açúcar e recheio e nem estamos aí para nada...


Aqui ele tem outro gosto: o delicioso sabor da liberdade...


E, como é bom!!! (Chica- escrito num finalzinho de férias maravilhosas na Pinheira, em abril/2008)

Um "sustinho"...



Num dia frio de "ranguear cusco" como dizemos por aqui, ainda de pijama, resolvi aproveitar bem o tempo em casa.


Olhei-me de passada, no espelho...


O rosto pálido, olheiras de fazer inveja aos ursos pandas, e pior...os cabelos brancos, insistiam em pular , pareciam saltar pedindo: uma tintinha por favor!!!Resolvi atender esse pedido e me fui.


Fiz tudo como de costume.


Com a tinta neles, voltei às outras tarefas para fazer tempo , esperar a ação da tinta sobre os "branquinhos"...


Chegada a hora do banho e lavagem, a surpresa...


A água negava-se a esquentar...


Minha primeira frase foi já impublicável!


Vira daqui, mexe dali, e nada...


Um pedido de socorro ao marido que longe dali, na sala trabalhava...


Mais um tanto de mexe, remexe e nada.


Liga, desliga, tudo que sabíamos fazer.


Testes em todas as torneiras...Pilhas?


Não existiam no nosso estoque para troca no aquecedor.


Quem teria vontade de sair na ventania para comprá-las?


E o tempo, passando, a tinta agindo...


Assim, já podia imaginar um lindo acréscimo àquela imagem anterior no espelho: os cabelos estariam queimados ou todos arrepiados pela demora da tinta neles...


Enfim, após muitos pensamentos , muitos GRRRRRs, Franco deu a luz, ou melhor, fez um "acordo" com a pilha...


Pelo menos, para essa aventura ela ainda resistiu...


Agora , já está na lista das compras...


Tudo deu certo!


Foi só o susto!(Chica/inverno/08)

Sem perder a paz...





Hoje aqui em S.Catarina a toda hora se ouve falar no tornado que se formou no mar, em Florianópolis, ontem à tarde.


Por aqui onde estamos, apesar de perto, nada vimos...Ainda bem!


Isso, porém, me fez lembrar um fato ocorrido há 5 anos, quando houve aquele tornado violento que destruiu muito por aqui, o "Catarina", justo quando estávamos em férias, Neno, Pippo, Neca e eu.


Pela manhã cedinho havíamos falado com todos em P.Alegre que nos alertavam da possibilidade desse tornado.


Minha mãe, então, foi a campeã dos avisos e como ela faz o gênero "tia funéria", que alarma sobre todas as desgraças ocorridas em todo o planeta, nem nos preocupamos.


Estava tudo normal, como nos outros dias.


Fomos à praia num local um pouco afastado.


Enquanto estávamos lá curtindo aquelas belezas todas, começou um forte vento, tudo voava.


Os donos das barracas de praia só faltavam expulsar os clientes, fechando tudo e correndo.


Bem, nós tranquilas e lá ao longe, avistamos no céu uma formação estranha, pelo menos para nós.


Lembro que ainda comentamos que se fôssemos influenciáveis, estaríamos pensando que aquilo era o tornado...


Chegamos em casa tranquilos e nada...


De repente, à noite, tudo aconteceu.


Voava tudo, tremiam as paredes do hotel, foi horrível.


No dia seguinte, saímos para passear novamente, ainda sem ter lido ou visto qualquer notícia.


Lembro que a Neca, ainda agarrou-se a um poste e como suas roupas balançavam pelo vento, fez pose, para uma foto, como se estivesse se segurando para não voar...


Só muito depois, fomos ver a gravidade daquilo tudo que esteve bem ao nosso lado.


Ainda bem que o bom humor que nos acompanha, tornou tudo mais fácil... Conseguimos superar tudo, numa boa!


Poderíamos entre outras coisas, ter perdido a calma e a nossa grande paz...( Chica,03.03.08)

domingo, 26 de outubro de 2008

Os filmes e as emoções...



Como sou uma chorona de primeira e em filmes dramáticos, com temas de família, e com uma música linda, choro até nas propagandas, quando vi esse artigo(abaixo), fiquei lembrando e resolvi compartilhar...

Em muitos deles que assisti, realmente me debulhei toda.

E pra minha surpresa, um filme infantil, que assisti com as crianças, BAMBI, foi demais...

Além disso, a Tita, pequeninha, na hora que o Bambi perdido na mata gritava e chorava dizendo:-mamãe, mamãe! quando esta havia sido morta, bem alto no cinema grita:

-mamãe tá aqui, apontando pra mim!

Coisa mais querida e que me fez rir, enquanto achava tudo aquilo muito triste mesmo.

Há ainda, um outro que assisti com o Franco e era pra ser um filme infantil: Free Willy, só que saí além dos olhos esbugalhados, o pescoço todo tenso e doído, pois tentava me controlar e não conseguia.

Agora mesmo, enquanto telefonava pra Tita para ver se ela sabia o nome, já que a emoção eu lembrava, mas o nome havia esquecido, só de comentar com ela a cena com a despedida da baleia, choramos as duas...

Há coisas inexplicáveis em nossas emoções, não?

E muitas vezes, quando nos dizem , alertando que um filme ou algo é triste, não sentimos nada estranho, não nos emocionamos nem um pouco...Engraçado isso!

Creio que tem a ver com nosso estado de espírito no momento, nossa fragilidade e sensibilidade.

Transferimos assim, para o filme tudo aquilo que está se passando conosco ou imaginamos passar e pronto! Derramamos as emoções...

E quando ela chega, devemos deixá-la vir e depois, ficamos leves, muito mais leves, ainda que com as pinturas todas "borradas"...

Não faz mal!

Pelo menos, desopilamos!...(Chica)

000o000o000o000
O artigo, publicado na Z.Hora de 24.10.08:

10 filmes que + fazem chorar
O jornal Daily Mail apresentou na semana passada uma lista dos filmes que mais levam os espectadores às lágrimas.

Confere aí se você não chorou ao assistir a alguma dessas histórias:
1. Bambi (1942)

2. Ghost - Do outro lado da vida (1990)

3. O Rei Leão (1994)

4. E.T. - O Extraterrestre (1982)

5. Titanic (1997)

6. Amigas para Sempre (1998)

7. Philadelphia (1993)

8. Uma Grande Aventura (1978)

9. Meninos não Choram (1999)

10. Flores de Aço (1989)

000o000o000o000



Para o Pippo...











Para um grande e lindo menino que hoje completa 11 anos, o Pippo...
A tua carinha linda, assim que abriste os olhos para a vida, há 11 anos, no Rio de janeiro, ainda lembro muito bem.
Teus olhinhos, já sapecas, brilhavam e pareciam ver e entender tudo...
Pouco a pouco, foste virando um cantorzinho...
Por onde andavas, estava o teu famoso e inseparável "Dinho" que até hoje ainda tens...
Acompanhamos bem de perto, ainda que estivesses longe, muito do teu desenvolvimento e crescimento tão bem cuidado pela mamãe.
Que continues crescendo "por dentro e por fora", como até agora .
Que teus caminhos sejam de muita felicidade e que consigas aprender a pular sobre todas as pedrinhas que insistirem em aparecer...
Toda a felicidade é o que te desejamos e que possas pegar cada "sementinha" boa que encontras e ir semeando...
Aos poucos, sem que percebas, junto contigo, elas irão germinando ... Terás então, um belo "canteiro"...
Um grande beijo da vovó.(25.05.08)

Para a Gabriela...




Hoje chegou mais uma menininha para a nossa família...
Ela veio de longe, viajou bastante até chegar!
Olhou, viu e gostou...
Havia encontrado os papais que ela estava esperando,a Natasha e o Cristian que a cultivaram com muito amor...
Agora está finalmente entre todos nós...
É um dia de muita alegria ver a nossa pequeninha e toda delicadinha Xaxa , se tornar mamãe também.
Que Gabriela chegue com muita saúde, alegria, e encontre por aqui, nesse mundinho que a espera, tudo de melhor , que lhe deixe sempre feliz , acarinhada e com muita Paz.
Aos papais, os nossos beijos e votos de todas felicidades!
Aos vovós de ambas as partes, os nossos parabéns e à minha irmã mais nova, a caçula da turma que hoje fica vovó Margot, ela sabe tudo aquilo que vai daqui pra ela: muita e muita alegria por esse dia!( 08.08.08)
Um beijo pra todos e um especial para a Gabi!

Maria Eduarda...





Neste momento em que escrevo, deve estar se encaminhando a chegada da primeira da fila desta "nova safra" dos bebês da família: a Maria Eduarda , filha da Xu e do Giuliano e, muito importante que se diga, a primeira netinha, a que está inaugurando o placar da tabela de vovó da nossa querida irmã Tânia.
Estamos todos esperando o telefonema avisando que ela já chegou...
Queremos e pedimos que chegue bem sadia e que Maria Eduarda possa encontrar aqui, um mundo amigo, que lhe dê as condições de aconchego e a receba muito bem...
É, certamente, uma nova fase que se inicia para todos.
São novos mamãe, papai e vovó...
Tudo novo! Novas responsabilidades e desafios, que certamente, serão vencidos...
Automaticamente, como num passe de mágica, passarão a pensar em primeiro lugar nesta menininha que hoje chega com um mundo pela frente, mas que precisa muito de todos vocês!
Que ela tenha sempre muita saúde, amor , tranqüilidade e muita, muita e muita PAZ!!!
Em tempo:
O telefonema tardava a chegar...A ansiedade estava grande, então nós ligamos e...
Já chegou!!! Nasceu uma baita e linda guriazinha, com 3.610 kg.
Que cada graminha destas represente um montão da felicidade que desejamos para ela nesta vida.
Estamos todos muito felizes com tua chegada, Maria Eduarda!(27.05.08)

Para o Neno...




HOJE É DIA 11 DE OUTUBRO DE 2008
Há 6 anos , nascia um lindo gurizinho, loirinho, olhinhos azuis.
Era o mais brilhante daquele berçário...(aliás, cada filho ou neto que nasce, é o mais brilhante...)
Ao primeiro olhar, nos fez um lindo beicinho, ainda através do vidro que separa o berçário dos familiares curiosos, já dando um sinal da tua comunicação...
União, amor, paixão...
Lembro que quase não deixei o Zezo enxergar direito e quando foste "liberado" para o colo, só deu vovó na tabela...
União tão grande e forte e que a cada dia, mais cresce.
Aquele mesmo olhar, aquele mesmo sorrisinho maroto ainda está no agora gurizinho de 6 anos.
Sua risada ecoa na nossa casa ,suas cantorias enchem nossos ouvidos...suas longas e deliciosas histórias e explicações,fazem parte de nosso dia a dia.
6 anos! Puxa!
O tempo passou depressa.Parece que foi ontem!No entanto, 2190 dias se passaram.Não é moleza!
Em cada um deles, uma surpresa...
Engatinhaste,, caminhaste, falaste ( e como falas!!!),soletras, escreves, desenhas, pintas e borda e muito lês!
Mas o principal é que em todos esses dias houve aquela troca,nossa "cumplicidade"...
Tu sabes que podes, em todas as suas horas contar com o vovô e vovó, que esperam, rezam e desejam que muitos outros desses 6 anos se completem.
Pra ti virão os 12, os 18, os 24 anos...Muitos e muitos mais!
O que queremos é, mesmo de longe, já bem velhinhos ou já em outro lugar poder saber e acompanhar teu caminho, que esperamos seja muito lindo e bem trilhado...
Que sejas sempre, sempre muito feliz, brilhando e irradiando a luzinha que tens dentro do peito,aquelas que dizes que brilha muito e, realmente brilha!!!
Sejas muito feliz! Hoje e sempre ,Neno!!!
Um baita beijão da vovó e vovô

Para uma "velhinha" especial...




Logo que casamos, de tanta vontade, logo tratamos de falar com a D.Cegonha para fazer uma encomenda.
Ela atendeu prontamente...
Colocou alguns probleminhas na "cestinha", mas com determinação, tudo foi ajeitado e deu certo!
A "cesta" teve que ficar de repouso por quase nove meses, inflou como um hipopótamo, mas era teimosa essa cesta e conseguiu ir até o fim...
Quando foi liberada para dar sua primeira voadinha pela rua, faltando apenas duas semanas para a data, a "cesta" se esparramou no chão e dali, tudo teve que se antecipado...
Não pedimos nada, D. Cegonha poderia nos trazer menino ou menina, desde que viesse com muita saúde.
Naquele tempo nem ao menos se sabia o sexo antes, não se faziam as ultrassonografias.
Era muito legal, pois o fator surpresa existia e a expectativa era grande!
O enxovalzinho, feito quase tudo tricotado, pela Oma, minha mãe, por mim, pilhas de sapatinhos, macacãozinhos de cores que pudessem ser usadas tanto por meninos, quanto por meninas.
Ainda constava na lista do enxoval, as faixas de umbigo e cueiros(aliás estes, voltaram novamente à moda)...
As fraldas eram de pano e em um número enorme...
Davam trabalho, mas que aquele varal era lindo, isso ninguém pode falar que não!E assim foi...
Em 08 de outubro de 1969 foi tirada da cesta e nasceu a primeira da turminha, a Patrícia, ou Tita, como a chamamos.
Assim, hoje, nossa guriazinha mais velha, completa seus primeiros 39 anos de vida! (Bem grifados, pra não passar sem ser percebido, viu,Tita???Eu entrego mesmo!!!)
Desejamos que ela seja sempre, sempre muito feliz em todas as horas da sua vida e que o Sol sempre lhe ofereça o seu calor e luz e a lua, seu brilho, tudo sempre ao eu devido tempo...
Assim, ela estará sempre protegida...
Que tenha sempre motivos pra sorrir, se divertir, falar sério, brincar, cuidar do nosso Gui, andar de cá pra lá, mas que por onde passar, encontre felicidade, amor e muita Paz para que, com muita saúde, possa chegar quem sabe, no mínimo a inverter esses números da idade, isso, é claro, desde que chegue bem!
E que saiba ainda pular por cima, desviar, mas enfrentar de frente tudo que aparecer pelo caminho, sabendo que sempre vão haver as pedras e que saber conviver com elas, é um grande aprendizado.
É o que mais queremos e desejamos, que seja feliz e em PAZ!
Parabéns Tita ! Gostamos muito de ti!
Que essa 4ª feira seja feliz e especial não apenas para a Tita, mas para todos!(08.10.08)

Para o Marco...



Hoje é um dia especial...
É aniversário do Marco, nosso netinho que mora ,com o papai Gordo, mamãe, Anna e mano Matteo, lá em Londres.
Marco já está completando 6 anos.
Puxa, parece que foi ontem que fomos lá vê-lo , na época na Itália, quando tinha apenas quinze dias.
Que esse teu dia, que tenho certeza, será bem aproveitado e com muitas bagunças numa linda praia italiana, seja cheinho de coisas boas e que tenhas sempre em todos os teus caminhos muita Luz, Amor e alegrias e possas sempre encontrar a Paz.
Um grande beijo pra ti, de todos nós que estamos tão longe, por aqui...
Um beijo especial e um FELIZ NIVER, MARCO!(04.08.08)

Kiko, o niver e o pijama...


Hoje é um dia muito especial.
Há 65 anos, nascia em Roma, Itália, o nosso KIKO, que além de ser um maridão muito legal, excelente pai e avô é ainda o maior colaborador indireto de todo meu trabalho nesse e no outro site por onde circulo , com meu trabalho na internet.
É ele que , por trás dos palcos, está ali para providenciar que não falte nada aos computadores, garantindo tudo para que eu não tenha tilt's, pois então a paz está garantida... e posso "jogar" minhas sementes com tranquilidade.
Assim, nesse dia ,por tudo, queremos renovar os desejos de que a vida lhe dê muita saúde, muitas felicidades, alegrias, paz e tranquilidade.
Que todos os dias possam ser transcorridos calmamente para que ao final de cada um deles, trocando as roupas "de fora" pelo pijama, possas sentir a leveza, que é tão necessária...
Que possas usar todo o estoque deles que a Neca sempre tratou de providenciar, com os mais diversos tecidos, curtos ou compridos, com a sensação de bem dormir pelo dever cumprido...
Que possas sentir o corpo e a cabeça cansados, mas que a satisfação seja não por um "ainda bem, mais um dia já passou" mas por mais um dia em que conseguistes ser exatamente como és...
Que sejas sempre muito feliz e que tenhas um NIVER MUITO LEGAL e muitos, muitos ainda, sempre com saúde, paz e alegria... (Chica-26/05/08)

Um joelho e o Dr.Amigo...



Após muitos dias de caminhadas empurrando o carrinho do Neno pela areia ou estradas de chão,nesta linda praia, teve uma pessoa dentre as muitas de Poa, que não pude esquecer, foi um Dr. amigo: O Dr. Celso Gomes.


Sabem o motivo?


Ele é o nosso ortopedista de plantão...


Acompanhamos todas as fases de sua vida, sempre sem cabelo (para não falar, carequinha).


Vimos Dr. Celso sedentário, barrigudo, como Zezo o chamava, muito importante "aparecendo" em todos os programas de rádio e tv, e ainda, agora, atleta, caminhante e corredor...


Frequentamos todos os seus endereços de consultórios, por isso, essa grande afinidade.


Desde muitos e muitos anos nos acompanha e ainda que não se tenha muito contato (ainda bem), nunca podemos esquecer tudo o que ele fez pelo Zezo, com suas fraturas, desde pequeno.


Ele chegava ao ponto de assistir as partidas de tênis para verificar de perto, o problema que Zezo apresentava nos joelhos.


Pois bem, agora, depois desses dias todos forçando a barra do meu joelho, acho que uma visitinha terá que ser feita por lá...


Conhecendo-o bastante, sei que vai dizer: "Beeeeeeem feito!!!


Vai pedir exames, vai constatar mais um "menisquinho", agora do outro lado, e falará em outra cirurgia.


Me ofertará as minhas amigas MULETAS!!!


Assim, sabendo de tudo isso, Dr. Celso, minha visita já está pela metade e daqui a pouco, saio do consultório, dizendo que vou pensar numa data favorável e....pluft...sumo do mapa, até a próxima crise!


Viu como é boa uma consulta?


Consulte você também o seu médico amigo, com ele você pode brincar!!!


E isso é 90% da cura!!!


Um abração , Dr.Celso! ( Chica- março,2008)

Liberdade não é tudo!



Nossa rua é visitada por muitos carroceiros, catadores de papéis e com eles, sempre surge algum cachorro que os acompanham.

Um deles, resolveu, há bastante tempo, morar por aqui.

Mudou-se definitivamente e andava de cá para lá, sendo bem tratado por uns, acarinhado e enxotado por outros.

Fazia companhia para os seguranças da rua e se revezava entre suas guaritas.
Faziam campanhas para mantê-lo sempre bem alimentado e com as vacinas em dia.

Um dia, uma moradora, resolveu adotá-lo, e o levou para sua casa.

Agora passa-se bem mais tempo sem vê-lo, mas tive oportunidade de fazê-lo hoje, enquanto estava fazendo meu exercício na esteira e "bisoiava" para a rua...

Ele antes tinha a liberdade total de ir e andar por onde bem entendesse, respeitando apenas as cercas, e quando passavam os outros cachorrinhos, guiados pelos seus donos nas coleiras, havia uma troca de olhares e de "desejos" sutis, suas vontades transpareciam em seus olhares.

Parecia que muitas vezes, gostariam de trocar de lugares.

Uns que tudo tinham , não tinham a liberdade dele, andando solto todos os dias.

Ele, com sua liberdade, não tinha um símbolo de "família", no caso, ser puxado pela coleira por um dono.

Mas hoje, pude vê-lo lépido e faceiro, ainda que sem a coleira, correndo à frente da sua dona, porém, quando cruzava com os outros cãezinhos, já se podia perceber o "poder", o sentimento de alegria pela "igualdade".

Agora ele, nas horas de passeio, é livre. Pode circular sozinho, pois tem grande experiência nisso.

A "coleira" já não é mais necessária...

Ele conseguiu o que todos querem e precisam: liberdade, amor, carinho e uma casa para morar...

Um final bem feliz para esse vira-latas sabido!

Para um domingo...


Que a beleza e colorido destas flores, acompanhem o seu dia!

Elas são simples flores do campo, que nasceram espontaneamente...

E no entanto, quanta beleza possuem e alegria aos nossos olhos podem passar...

Então, se inspire nessa simplicidade e sem muitos planos, programações ou preparativos, aproveitem o dia.

Se estiverem em meio ao sol e calor, aproveitem...

Se no frio,"encham-se" de roupas , saiam mesmo assim, ou apenas fiquem bem quentinhos em casa.

O que importa é que de qualquer maneira, façam ou tenham um belo e colorido domingo, na maior simplicidade possível.

Ela também faz muito bem!...

Ótimo domingo, então!

- Um netinho por perto...


Pequenos gestos em meio ao nosso dia dia podem nos fazer pensar...

Temos um dia-a-dia sempre corrido, normal, como o de todo mundo.Em meio às tarefas que devem ser feitas fora e dentro de casa, muitas vezes nem paramos para pensar.

Vamos indo, indo, com nosso motorzinho ligado e assim prosseguimos...

Tenho um pequeno grande amigo aqui em casa comigo todos os dias...o Neno.Ele é pequeninho, franzininho até...

Porém , o que tem de pequeninho, tem de danadinho, esperto e querido.

Tem 5 anos. Já lê tudo e escreve, da forma como ouve...

E gosta muito de fazer isso!

Realmente se interessa por ler e aprender.

Pois bem, tudo isso para contar como podemos de repente, dar uma parada e perceber...

Já há algum tempo, quando lembro de algo que está faltando e deve ser comprado, enquanto faço outras coisas , apenas peço:

- Neno, escreve na lista da vovó que falta isso, que falta aquilo, etc..

Lá vai ele e pronto, com sua escrita característica, dá conta do recado prestando assim, sua ajuda.

Hoje, quando por tres vezes pedi que acrescentasse itens à lista, dei-me conta da importância desse pequeninho, da beleza de ter essa companhia que além de todo o resto da alegria que nos proporciona, já sabe até tomar nota dos recados.

Eles crescem tão rápido que nem percebemos o quanto vão despontando no mundo ...

Vão aparecendo e dentro em pouco, ele estará grande e não mais poderá fazer isso pra mim.

No próximo ano deverá ir à escola e aí, tudo começa...

E eu, abobada, começando a ficar com uma sensação estranha no peito (ou no coração?)

Ainda bem que imediatamente, veio outro pensamento:

-Mas o que é isso? Já estás sofrendo com antecedência?

Cai na real, Chica!

Então, dei uma sacodida em minha cabeça e retornei ao dia de hoje...

Vamos aproveitar bem o hoje, curtir tudo, todos os belos momentos...

Depois é depois...Xô!

Te manda asa da graúna, sai de mim...

Vou curtir tudo enquanto posso e pronto... É bem melhor! (Chica - escrito em junho/08)

sábado, 25 de outubro de 2008

O Outono para nós...



O outono já começou há bastante dias, porém, só hoje vejo a sua cara...

Chove, está mais fresquinho e então, lembrei de procurar entre as roupas do Neno as que servem, as que não servem mais para passar adiante...e por aí vai!

É hora de renovar o armário...Tudo na vida se repete !

Esse gesto, me fez lembrar que essa era também, a nossa eterna preocupação sempre nos meses de março, já que naquela época, as estações eram pontuais...

Com quatro filhos pequenos, que formavam uma bela escadinha, a entrada do outono significava um monte de coisas, entre elas, as roupas ...

Nada mais servia de um ano para o outro.

Faltavam de pijamas aos abrigos e uniformes, sapatos, botas ortopédicas...

Além de todo o material escolar, tudo na mesma época...

Todas as calças, ficavam parecendo aquelas de caçar marrecos na beira da lagoa...Ainda bem!

Isso significava que estavam crescendo bem!

Encurtavam e nem ao menos, na maioria das vezes, podiam ser repassadas de um para o outro, pois eles tinham muita vitalidade e eram uns perfeitos "anjinhos", o que fazia com que suas roupas fossem REALMENTE BEM USADAS E APROVEITADAS...

Ainda bem, que naquela hora, o Opa e Oma,meus pais, chegavam com uma boa "mãozinha" na hora das compras.

Davam, pontualmente em março, para aplacar minhas preocupações, uma graninha que resolvia uma bela parte desse problema de outono!

Agora passados tantos e tantos anos, tudo está quase igual... nossos cabelos já estão quase como as folhas de outono, mas nossos troncos, ainda estão firmes...

Pena que o Opa já não está mais por aqui, mas...

Temos que dar vivas ao resto todo, que é uma parte muito maior: ainda temos a Oma entre nós, crianças para nos dar essa "preocupação" e nós, estamos por aqui, pronto para encarar mais um outono nas nossas vidas...

Para mim, hoje ele começou...(Chica- 13/04/2008)

Nossa Tia Luli...



Hoje a família está mais triste... Chegou a hora e a nossa Tia Luli partiu...
Certamente ela está bem onde se encontra agora!
Mas, como penso que é até nas piores ocasiões,é melhor deixar as coisas boas e engraçadas abafarem as coisas ruins , resolvi contar aqui um pouco e assim, relembrar como foi a Tia Luli em nossa vida, como uma forma de homenageá-la.
Lembro dela sempre com a grande preocupação com as crianças, filhos, netos, bisnetos, sobrinhos-netos, quem quer que fosse.
Estava sempre preparando uma comidinha gostosa para despertar a fome ou vontade de comer.
Fazia uma tortinha com um creme de laranjas inigualável. Era a melhor que provei até hoje.
Lembrar dela é pensar em crianças, cachorros e todos os animais bem cuidados.
Andava pelas ruas e, quando via, por exemplo, um carroceiro maltratar o seu cavalo, descia do carro, não sem antes dar um grito em alemão de:
-Pass Auf!!!, Alva ( Cuidado!) para o seu marido,o Tio Alva.
Assim, ela abordava os carroceiros e tirava os relhos deles.
Não sei como nunca levou uma relhada.
Ela era assim... Os cachorros de todo N. Hamburgo, H. Velho e depois em Porto Alegre,que encontrava, tratava de assistí-los.
Sabia até de quem eram" filhos"...
Se era assim com os animais, imaginem como era com os filhos: Marilú e Juarez.Este, cresceu e até agora, de onde estiver, deve "lembrar" das palavras: "Juareeeez, bist du geschwitz???" (estás suado???)
Isso com o seu sotaque bem alemão que tinha, ficava muito característico dela.
Essa pergunta foi uma marca da Tia Luli e motivo de muitas brincadeiras e risadas.
Ela se preocupava para ver se ele, que estava em meio às brincadeiras e correrias infantis, porventura, estivesse suado, o que facilitaria a chegada de uma gripe, se apanhasse qualquer vento.
Então, além de perguntar, fazia a "verificação" nas costas dele e , se realmente estivesse, não havia problemas: ela tinha sempre uma pequena mudinha de roupa, que sempre carregava junto.
Era também muito precavida, até demais!
Assim, morando em P.Alegre, sempre que ia para N. Hamburgo passar o dia , levava na sua "delicada malinha" uma roupa preta, pois, poderia ter que ir a um enterro de qualquer conhecido de infância, por lá.
Bota precaução nisso, heim?
Outra recordação bem nítida que tenho dela: foi num período em que ele estava muito cansada, precisando descansar um pouco.
Nós morávamos no Rio de Janeiro.
Ela então ia até lá para "repousar".
Este repouso, porém, era sempre "muiiiiito tranquilo", pois quase sempre coincidia com a entrega de algum boletim nos nossos colégios, onde nem todas as notas eram azuis e assim , ela que queria paz, ficava em meio às confusões normais, com xingões por todos os lados.Belo repouso!!!
Ela quase morria de nervosa!!!
À noite, dormindo no quarto conosco, quase nos matava de susto: acordava no meio da noite , sentava na cama e acendia uma luzinha e, pasmem...passava batom nos seus lábios.
O motivo nunca soubemos, mas era assim.
Parecia um fantasma no escuro!
Os anos foram passando, ela enfrentou valentemente várias doenças e no entanto, apesar das queixas, estava sempre firme e bonitona e ...sempre com batom!
Com as correrias da vida, cada vez menos a víamos.
Porém, sabíamos que ela estava sempre lá, pronta e receptiva. Não lembro de que tenha passado um aniversário de qualquer membro da família que ela não marcasse presença com seu telefonema pontual.Era sempre uma das primeiras, não falhava...
Todas nós sabíamos que quando uma criança não estava muito bem, podíamos telefonar-lhe que logo estava pronta para rezar, fazer suas benzidas e pensar sempre na melhor forma de ajudar.
E assim, foi com nossos filhos e também os netos.
Até minhas filhas já sabiam a quem recorrer quando as coisas com os filhos não andavam bem. Uma benzidinha sempre ia bem!!!
Agora estão para nascer mais três criancinhas na família e para estas, não teremos mais a sua ajuda para recorrer...
De uma coisa, no entanto, ela podia se orgulhar: aquelas mesmas meninas que antes achavam graça das suas preocupações exageradas com filhos, comidas, ventos e tudo mais, hoje estão bem parecidas nesse ponto.
Por onde vamos carregamos um mini-armário, com mudas de roupas, casacos e tudo mais para os netos e estamos sempre tentando "socar" comida neles...
É uma pena, mas sua hora chegou e partiu.
Prefiro, ao invés de apenas ficar triste, conseguir, nesta hora e daqui pra frente, recordá-la com alegria .
E agora, em seu nome , temos que dizer somente:
-Pass Auf, Marilú! Estaremos de olho em ti!!!
Chegou a tua vez de te cuidar, após ter cuidado tanto e tão bem dela!!! (Chica- 19.05.2008)

Um dia dos namorados diferente...


Hoje cedinho, quando Franco me perguntou onde comemoraríamos o Dia dos Namorados, disse que ainda iriamos ver, mas lembrei deste caso:

Estávamos numa cidade do interior, em Serafina Correa, cidade tranquila, de colonização italiana e muito bonita.

Como de costume, planejamos durante o dia, um romântico jantar em um local bem bonito e aconchegante.

Tudo bem!

Fazia frio, mas um frio daqueles de deixar até os pinguins congelados...

Como fazemos quando estamos em passeios por outras cidades, aproveitamos para grandes e boas caminhadas, conhecendo assim, tudo de bonito que tem no local.

Assim, passamos o dia caminhando e caminhando...

A tarde foi indo para o seu finalzinho e o frio, cada vez mais cortante!

O local para o jantar já havia sido definido, o que já era alguma coisa.

Seria num restaurante tipo castelo que lá existe, como uma réplica italiana.

Já estava escurecendo...

De repente, passamos por uma padaria e veio a idéia.

Mudanças de planos...

Compramos doces, salgados um vinhozinho e...resolvemos trocar o jantar num castelinho, por um delicioso lanche, de pijamas quentinhos num quarto de hotel, bem aquecidos.

Foi muito legal e um dia dos namorados bem diferente.

Os planos mudaram porém entre nós nada mudou...

A simplicidade e praticidade imperou.

No entanto ficamos felizes da mesma maneira...

Hoje,passados seis anos, o dia está frio igual mas não estamos passeando...

Os pijamas mudaram, nós ficamos mais velhos, os cabelos branquearam, as rugas "saltaram", mas por dentro estamos iguais...

Assim, hoje, vamos ver qual resposta darei ao Franco à noite, quando ele retornar do trabalho...
Quem sabe um pedido por telefone ???(Chica)

Nossos pássaros



Acredito que poucas são as pessoas que gostam de ver pássaros presos.
Eles devem ser apenas livres para voar para onde queiram.

É essa a natureza deles.
E assim deve ser em nossas vidas também...

Não somos os senhores ou donos de nada. Nascemos, crescemos, multiplicamos e então chega a vez dos nossos frutos também escolherem os seus próprios terrenos...

A vida para eles está abrindo um leque de perspectivas...

Eles devem escolher.Essas escolhas, por si só, já não são fáceis e se eles encontrarem apoio nas famílias e entre os que eles mais amam, ficará mais fácil e claro esse momento...

Tudo isso nós todos sabemos e falamos, falamos, repetimos , somos os craques no saber, em teoria...Mas quando a hora se aproxima, fraquejamos...

Quando chega essa hora, não adianta bancarmos os fortes ou fortonas e sim respeitar e nos permitir um pouco de tempo para pensar bem sobre isso.

Passar pela dor, pelo sentimento terrível de "perda", que como todo o resto, também tem o seu momento em nossa vida.

Isso não significa abrir espaço para que ela "se acomode", mas permitir que ela entre, nos faça uma "visitinha" e depois se retire, vendo que não é muito bem recebida...que temos mil e uma coisas mais importantes que ela para pensar...

Pensar em coisas alegres e positivas , visualizando para os nossos "pássaros" o melhor em seus vôos, com o mínimo de turbulências possíveis...

Fazer de conta que nossa tristeza não existe, não sei se é correto.

Temos um tempo de ser feliz, outro de estar um pouco abatidos.

Porém, nessa hora, se tivermos um bom "preparo" é ela mesma que vai nos impulsionar a subir... e nós, "subindo", estando bem, teremos cada vez mais condições de ajudar, ainda que de longe!(Chica)

000o000o000o000
Esse texto dedico às pessoas, mamães ou papais que de repente, se encontram na hora da separação de seus filhos, por eles irem morar fora, no exterior, como foi o nosso caso, ou por saírem de casa para casar ou ainda, apenas morar sozinhos, enfim, alçar seus vôos solos...

Que minha experiência possa servir um pouquinho para ajudar nessa hora, que fatalmente chega...

Mas também é boa, apesar de no início doer. É sinal que a vida está andando...
E ela tem que andar! Um abraço,Chica